Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

OH POR FAVOR… Não, não leiam em jeito de pedido de atenção/ajuda, mas sim com a entoação de quem já não aguenta o que está a ver/ouvir.

Ao meu querido companheiro de idas rubricas,

Companheiro de tempos passados em Banho Maria...

 

Querido PA, eu sou uma besta...

 

Parabéns muito atrasados pelos teus 23 ( querias) aninhos!

 

E obrigada por me lembrares da minha falha.

Para a próxima faz como eu:

 

anúncia com tempo de antecedencia.

 

Por falar nisso, de hoje a 3 meses faço anos

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

11
Dez17

Alive and Kicking

por Maria

Estou viva!

 

Não tenho estado presente e, apesar de ir lendo um ou outro post vosso, não tenho tido tempo para comentários.

As minhas mais sinceras desculpas.

 

Infelizmente, vai voltar a acontecer...

 

Já estou um pouquinho mais organizada,, ainda assim, vir aqui e gerir posts, comentários, leituras, etc. não está a ser fácil!.

 

Anyway, só para dizer:

 

"Olá, estou com saudades!"

 

PS - E sábado, quem vai ao jantar dos Sapos do Ano???? Eu vou!!

 

viva.png

(créditos na imagem)

Autoria e outros dados (tags, etc)

30
Nov17

luto.png

Até já Zé Pedro...

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

28
Nov17

Acordei e saí de casa feliz.

Esta foi a 1ª vez que andei á chuva sem óculos molhados!!

 

Queria chegar ao trabalho antes das 08h para despachar imbróglios na paz do senhor.

 

Metro de Lisboa no seu melhor:

Estranhei o facto de chegar á plataforma e só faltar 1 minuto para a chegada do Metro. Fixe, chega a demorar 8 minutos.

 

Entro no Metro, Metro não anda. Pessoa começa a enervar-se...

 

Metro arranca, pára na estação seguinte e não anda.

Comunicação tipica "Problemas na linha azul"

Pessoa já está enervada

 

Metro arranca novamente e na estação seguinte a mensagem muda: "A circulação está interrompida, blá blá, blá"

Pessoa entra em fúria, mas espera dentro da carruagem.

 

Metro chega finalmente ao destino.

Pessoa que não gosta de pessoas sai (como todos os dias) a correr para fugir da carneirada.

Sobe as 1ªs escadas em grande estilo, qual Gnu a correr na savana...

 

Pessoa sobe 2º lance de escadas e espalha-se em grande estilo.

Com alguma delicadeza e finesse, devo dizer, pessoa fica de joelhos e levanta-se rapidamente qual saca de batatas!

 

shame.png

(créditos na imagem) 

 

Pessoa fica de orgulho ferido e já só entra no trabalho ás 08h09

 

São 8h45... Espero sobreviver até chegar a casa

Autoria e outros dados (tags, etc)

Sejamos então hipócritas* por 5 minutos e atentemos nas sábias palavras do título.

 

Se algum dia tiverem a curiosidade mórbida de espreitar a minha Tag “Crise de meia-idade” vão perceber que a coisa dá-se quase sempre nesta altura do ano.

 

Eu acredito que seja o Universo a dizer-me que iniciei menos anos lectivos do que devia e, mais do que no início do ano civil, é por Outubros e Novembros que tomo iniciativas.

 

Desta vez… Ginásio.

 

Bom, não vale a pena fazer apostas para perceber quanto tempo lá vou ficar.

 

A resposta é: “Até ter abdominais definidos”, pelo que… lá para 2038 desisto.

 

E perguntam vocês:

“Então mas diz que importante é a beleza interior e afinal quer é um six-pack?”

 

Não fofitos, esta lengalenga toda é para vos dizer que ontem fui fazer a avaliação física.

 

S’presa, S’presa, a minha idade metabólica é de 27 anos!!!

Fiquei maluca.

 

Afinal ainda nem uma trintona sou!!!

Isto quer dizer que tenho 13 anos de asneiras para recuperar.

 

Melhor ainda, levei a Mãe Maria de arrasto.

A moça que vai pela 1ª vez a um ginásio, á beira dos 87 anos, tem 50 anos de idade metabólica!!!

 

É óbvio que esta é a idade (beleza) que conta e o resto são cantigas!

 

Está nos genes!

 

(não se preocupem, do lado do meu pai é tudo uma desgraça pelo que não me vão aturar assim tanto tempo)

 

F.jpg

(imagem net)

 

 

*(Sim, a aparência exterior de nada vale se por dentro não houver suminho nenhum. Mas experimentem ver aproximar-se de vossas excelências um ser sem dentes, banho e pente, e quero ver quantos de vocês (de nós) não olham para outro lado)

Autoria e outros dados (tags, etc)

20
Nov17

Sapos do Ano 2017

por Maria

Pois que a genial Magda - Stoneartbooks lançou a fantástica ideia de votarmos para os Sapos do Ano.

 

Problema dos problemas...

Não consigo escolher um só blog por cada categoria.

 

Resultado...

Passei o fim de semana a moer o juízo e a fazer "anani-ananão".

 

(ainda não me decidi)

 

E agora botai a vista aqui para ver o "regulamento do concurso" não supervisionado por um elemento do governo civil!

 

Frog.jpg

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

(continuação do isto de ter visto a vida com óculos e do isto de tratar de ver a vida sem óculos)

 

O meu querido Sr. Agente ia-me buscar á clinica.

Não consegui estar fechada á espera.

 

Saí da clinica de óculos de sol, apesar do céu negro e da chuva que caia.

 

E eu estava a ver…

 

Apercebi-me de imediato que conseguia ler as matrículas dos carros, apesar de ver tudo embaciado.

 

Eu estava sem óculos a ver.

 

Julgo eu que devido ao pico de adrenalina, assim que cheguei a casa e me pus confortável adormeci (15h +-) acordei lá para as 17h ou 18h e ao abrir os olhos e olhar para a TV percebo que estou a ler legendas…

 

Eu estava a ver logo naquele dia…

 

Sábado de manhã tive a consulta pós operatório. Ao contrário da véspera, estava um sol radioso.

 

Como o meu Herói ia estar em Setúbal a dar consulta a minha irmã Chucha fez (mais um) favor de me levar.

Ir em direção á Arrábida, com céu azul e um sol descumunal é por si só perfeito.

 

Eu estava a ver tudo…

 

De repente percebo que tinha ganho visão periférica… nem sabia que não a tinha…

 

EU ESTAVA A VER PELOS LADOS!!!

 

Acho que li todas as placas pelas quais passei, todas as matrículas, todos os cartazes e afins.

 

Na consulta as noticias não podiam ser melhores.

 

“Podes fazer tua vida normal, só ainda não conduzas á noite. Hoje já estás com a visão a 80% e chegará pelo menos aos 90%”

 

Como é que era possível??

 

Voltei ao trabalho na 5ª feira e foi como fazer anos!

Á parte do choque estampado na cara de quem, tal como eu, só me conhecia de óculos… fui mimada até mais não.

 

E nem sequer me gozam por ter aumentado a resolução do PC para letras garrafais (gozam, mas discretamente).

 

Agora:

Estou a aprender a não levar a mão á cara para ajeitar os óculos;

 

A não esticar a o braço para os apanhar na mesa-de-cabeceira quando acordo;

 

A debruçar-me numa varanda sem os agarrar;

 

Descobri a minha cara que nunca a tinha visto (e bom, esta parte não é assim tão positiva);

 

Consigo me maquilhar e ver aquilo que estou a fazer (o facto de ter 2 mãos esquerdas para me pintar, não ficou resolvido com a cirurgia);

 

Fui comprar uns óculos de sol e vi como me ficavam…;

 

E agora… Só quero que o tempo mude para poder andar á chuva e deliciar-me com a água a bater na cara… sem óculos!

 

(Ps – simulação de chuva já testada pela minha família cigana e ameijoa com um borrifador)

 

rain.png

(imagem net)

Autoria e outros dados (tags, etc)

(continuação do post isto de ter visto a vida com oculos)

 

Não sabia eu que quando me levantei no dia 28/09/2017 a minha vida ia mudar para sempre.

 

A minha mãe tinha nesse dia a cirurgia ás cataratas.

Como quem a acompanhou nas consultas foi a minha irmã Chucha, eu ainda não tinha conhecido o médico.

 

Finda a cirurgia ele vem falar connosco para dizer como tinha corrido e foi ali que conheci o meu Herói.

 

Enquanto falava connosco, o Dr Victor Ruiz ia olhando para mim e ás tantas diz algo como:

 

“Tienes una hipermetropía de qué? 6 o 6.5 en ese ojo derecho?

Es uno de los casos en que la cirugía te daría una calidad de vida increíble”

 

1º fiquei incrédula, depois fiquei apaixonada …

 

“Como assim cirurgia, mas então é possível?” E sim… era e foi possível.

 

… e jurei-lhe amor eterno!

 

Marquei logo consulta, fez os exames que considerou necessários e ele próprio avançou com o pedido de autorização á seguradora.

(sim, não fosse ter seguro e não teria condições financeiras para…)

 

Achava eu que ainda faltava fazer exames e já a seguradora me estava a contactar.

 

O meu Herói tomou conta de todo o processo.

Um Médico Cirurgião a tratar de processos administrativos…??? Onde já se viu.

 

Em menos de 1 mês tive a autorização, faltava a data consoante a disponibilidade do Herói e seus ajudantes.

 

Liga-me numa 5ª feira ás 16h30 e diz-me: “ Então, pode ser amanhã ás 13h30?”

hyper.gif

hyper.gif

 (gif tirado da net)

  

 

Pedi-lhe 10 minutos, fui para a casa de banho do trabalho hiperventilar só um bocadinho e liguei-lhe:

“Vamos lá!”

 

Enquanto não soube que era possível operar não pensei muito nisso.

Perante esta hipótese fiquei cheia de expectativas e a ansiedade tomou conta de mim. Curiosamente a partir do momento que soube data e hora fiquei estranhamente calma.

 

E foi assim que entrei na clinica no fantástico dia de chuva torrencial 03/11/2017.

 

Nunca tinha estado num bloco operatório. E aquilo é gelado que dói. Não se faz!

Preparação feita (soro, gotas anestésicas, touca, “seguradores-de-pálpebras-que-mais-parecem-um-instrumento-de-tortura-medieval”etc.) dá-se inicio á mudança de vida.

 

Já tinha estado no youtube a ver como se processava a coisa e tinha apenas curiosidade sobre a reação que teria quando visse facas e cutelos a aproximarem-se do olho.

Não os vi. Estamos a olhar para um foco de luz tão intenso que vemos apenas sombras enquanto ouvimos uns sons estranhos.

 

Basicamente um concerto de Pink Floyd!

 

E a rapidamente, talvez em 40 minutos, as palavras mágicas…: “Prontinha”

 

(continua)

Autoria e outros dados (tags, etc)

Usei óculos durante 34 anos.

 

Apesar da hipermetropia (oposto da miopia) ter sido diagnosticada antes dos 6 anos, na altura o médico achou por bem que apenas começasse a usar óculos quando entrasse na primária.

 

Numa altura em que não havia grande escolha de armações - até porque não se tratava de um adereço de moda – nem a oferta de tratamento nas lentes que hoje damos como adquiridos, lá iniciei a minha vida com uns verdadeiros fundos de garrafa, pesadíssimos e horrorosos.

 

Poucas eram as crianças que os usavam e obviamente quem usava era gozado até mais não.

 

Hoje chamar-se-ia bullying, na altura servia para enrijecer!

 

Aqui a caixa-de-óculos, quatro-olhos, rodinhas… passou por várias fases nisto da vesguice.

 

Ainda com 7/8 anos tive de fazer uns tratamentos tortuosos, uma espécie de fisioterapia para evitar um possível estrabismo. Em pleno Verão, com um calor de morrer, lá vinha a minha mãe para Lisboa comigo. Esqueçam tudo o que sabem sobre transportes públicos.

 

Aquilo que hoje faço em 45 minutos de transportes era coisa para demorar 1h30 para cada lado. Mas a menina portava-se bem e o prémio de consolação era um gelado na Pastelaria Suiça.

 

Durante a adolescência recusava-me a andar com os ditos na rua.

 

Só os usava na escola dentro da sala e nem era sempre. Curiosamente reduzi drasticamente a graduação nessa altura, mas teve apenas a ver com a mudança de idade.

 

A consulta anual de oftalmologia era sempre difícil, como se aguardasse por uma sentença anunciada.

 

A compra de nova armação um horror… Eu não via o que estava a comprar.

Ou melhor, não via como me ficavam até que viesses prontos, com as novas lentes.

 

Ir á praia, abrir um forno quente, andar á chuva… Raiva, Raiva, Raiva.

 

O medo constante de os perder ou parti-los… (implicava no mínimo 1 semana de espera porque as lentes são encomendadas).

 

Uma vez, num concerto de Xutos no Seixal um anormal que “andava ao biqueiro” caiu em cima de mim e atirou-me os óculos ao chão.

 

Assim que os encontrei e os pus na cara virei Hulk.

 

Levantei o fulaninho do chão, pelo pescoço… E acreditem que era bem maior que eu.

 

A partir daí o receio de espaços com muita gente, sítios escuros que pudessem ter degraus, tudo trazia novos medos.

 

Tentei usar lentes de contacto mas não me adaptei. Eram semi-rigidas, não tinha lágrima suficiente e basicamente era como ter unhas espetadas no’jólhos.

 

Quando aqui no blog faço um post da "Saga de pessoa bonita mas vesga" acreditem... é realmente uma saga.

 

Nas consultas sempre a mesma pergunta: “E não é possível fazer operação”?

 

Sempre a mesma resposta: “Não compensa o risco. Não vais reduzir assim tanto a graduação”

 

Até que chegou o dia 28/09/2017!

(continua)

Autoria e outros dados (tags, etc)

 

Hoje abro o Google e descubro que o "perfurador de papel", vulgo furador, faz 131 anos!

 

131st-anniversary-of-the-hole-puncher-576355174134

 Assim, e porque não quero deixar passar a data em branco:

 

Muitos Parabéns querido Furador!

 

fura.jpg

PS - Qualquer suspeita de que padeço de lunatismo, é pura verdade!

Autoria e outros dados (tags, etc)


Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D