Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

OH POR FAVOR… Não, não leiam em jeito de pedido de atenção/ajuda, mas sim com a entoação de quem já não aguenta o que está a ver/ouvir.

(continuação dos posts inicio e dia D)

 

Chegadas a casa, enviei mensagem á familia e amigos a dizer que tudo estava bem.

 

Como a pequena vinha com uma proteção nos olhos, cheios de fita adesiva, nada melhor do que tirar uma foto e colocar a legenda “Mascarilha”!

 

Ela não via, não me ia bater.

 

No dia seguinte nova foto, desta feita, a Mãe Maria com uns fantásticos óculos de sol (gentilmente cedidos pela minha T)…

 

Agora a legenda era “Obrigado, obrigado”.. A minha Amália começava um processo de recuperação fantástico.

 

Muitos mimos, visitas inesperadas e gotas.

 

A cada 3 horas, 3 gotas diferentes em cada olho.

 

A raiva ás gotas já era tanta que a dada altura a Mãe pergunta-me pelos 3 porquinhos e soube logo do que falava.

3pigs.jpg

(3 porquinhos)

 

Tudo aquilo que não devia ter feito fez.

 

Dei com ela a apanhar coisas do chão (não se devia baixar):

“eu não baixei a cabeça, fleti os joelhos”

 

Ao fogão (não podia estar perto de fontes de calor):

“Mãe…”

“Que é? Estou longe do lume” – com uma panela de água a ferver.

 

Com um frasco de lixivia aberto (nem preciso explicar):

“Usei só um bocadinho”.

 

A pegar em pesos:

“Não resisti…” Enquanto pegava na bisneta ao colo.

 

Foi á consulta passados 6 dias e “teve alta”, almoçámos fora e entretanto fui deixá-la a casa porque ia ter com uns amigos.

Como ia estar fora até tarde, voltei atrás para ir buscar um casaco (nem 10 minutos tinham passado) e já estava ela com um alguidar de roupa á cintura…

 

Cheia de saudades das lides domésticas…

 

No dia seguinte á operação (6ª feira) queixava-se que via tudo azul e nesse mesmo dia o médico explicou que era um excelente sinal.

 

O Azul é a 1ª cor que chega até nós.

 

No domingo, enquanto víamos um episódio dos Simpsons (que ela adora) dizia:

“mexeste na tv? Os desenhos estão tão amarelos…”

 

Aí percebi o quão necessária tinha sido a operação.

 

E agora é isto:

 

A caixa de comprimidos que afinal não é castanha mas sim lilás,

 

O carro da minha irmã que não é beige mas sim cinzento…

 

O botão da cafeteira elétrica que é verde e não amarelo…

 

e toda uma vida colorida que estava esquecida!

 

cor.jpg

(gif tirado da net)

Autoria e outros dados (tags, etc)

(continuação)

 

Tudo a postos para avançar com a cirurgia e começa a ansiedade.

 

Da minha parte uma pilha de nervos e alguns receios, da parte da Mãe Maria uma excitação tipo criança-de-6-anos-que-vai-á-Disneylândia!

 

Eu e uma das minhas irmãs (a Chucha) combinámos horários, quem levava e quem ia buscar a criança á escola, perdão, a mãe a casa…

 

Andámos 1 semana a decidir se devíamos ou não fazer Sua Exa. assinar um termo de compromisso em como nos dias seguintes á operação faria tudo o que nós mandássemos (ou não conhecêssemos nós a prenda)...

 

“Mãe, até indicação em contrário POR PARTE DO MÉDICO, não pegas em pesos, não te baixas, não mexes em detergentes, não vais para o fogão…” (posso vos dizer desde já que fez isto tudo)

 

“Está bem, está bem! Eu prometo que não faço nada disso” – quase em fúria, porque não é nenhuma criança!

 

Na antevéspera da dita perguntava-me – no seguimento de um anúncio de jackpot do euromilhões – “se te sair o prémio na 6ª vais-te logo embora?”

 

“Não mãe, está descansada que eles demoram 2 meses a pagar o prémio”…

 

Chega então o dia D!

 

Fui ter ao HPA (Hospital Particular de Almada) ás 17h e a minha irmã estava cá fora á minha espera.

 

“A mãe??’” – sim, eu sou filha galinha

 

“Calma, já subiu e está a fazer a dilatação á vista”

 

Estivemos 1h e pouco na sala de espera, não porque a cirurgia seja complicada mas porque para além do tempo da preparação, a recuperação da anestesia leva o seu tempo. Pareceram-me 6 horas…

 

A dada altura oiço uma broca… SERÁ QUE ESTAVAM A USAR AQUILO NA MINHA MÃE???????

 

A Chucha fez malha, gozámos com parte das figurinhas que estavam na sala de espera, debitámos parvoíce em barda da boca para fora. E o tempo não passava.

 

Vemos o médico. Dr. Victor Ruiz…

Eu ainda não o conhecia, foi sempre a Chucha a acompanhar a nossa velhota.

 

Fiquei apaixonada!

 

Correu tudo bem e quando finalmente pudemos ir ter com a pequena, lá estava ela “a curtir a pedrada da anestesia” – rimos a bom rir com as saídas fantásticas da mãe.

 

Parecia que tinha estado 7 anos sem falar. Falou, falou, falou, falou e … não se lembra de nada.

 

talk.gif

Estávamos para sair quando vem uma enfermeira (lamentavelmente não sei o nome) e diz á minha mãe: "Minha Princesa, deixe-me dar-lhe um beijinho. A sua mãe portou-se lindamente! É uma querida"

 

Sabem o ditado "quem os meus filhos beija, minha boca adoça"?... Virei diabética nesse momento

 

(continua)

Autoria e outros dados (tags, etc)

Isto da vesguice corre na família e a teimosia também.

 

Há uns bons anos atrás a minha mãe soube que tinha cataratas.

 

Não havia grande coisa a fazer e a teoria (ainda praticada por alguns doutores) era de que teria de atingir um ponto de quase cegueira antes de avançar com uma operação.

 

A dada altura, mudou de médico que lhe propôs de imediato a cirurgia.

 

A Dª Maria recusou.

 

Andou anos a aplicar gotas que pouco ou nada fizeram e a pitosguice a aumentar.

 

O diagnóstico médico-cientifico da pitosguice era frequentemente confirmado pelas esfoladelas nos joelhos.

 

Com uma névoa constante nos olhos, tornou-se complicado ver o relevo dos passeios, e a nossa calçada é muito bonita mas…

 

O Dr. insistia a cada consulta e a Dª Maria teimava na mesma medida.

Não queria ser operada. Ainda via muito bem.

 

(NB – há uma condicionante que estou a omitir mas que justifica a teimosia. Devido a um outro problema na vista, a operação tinha de ser feita com recurso a anestesia geral. Por consequência, tendo em conta a idade da pequena – agora com 86 anos – o médico não arriscava a 2 anestesias consecutivas. Assim, obrigatoriamente, tinha de recauchutar as 2 vistinhas ao mesmo tempo. É óbvio que o medo estava a vencer).

 

No final do ano passado (e com os joelhos cada vez mais esfolados) a Mãe Maria enche-se de coragem e marca consulta no Dr. por forma a avançar com a maledetta…  

 

Guess what?

 

O Dr. tinha-se reformado…

 

A desilusão e o arrependimento bateram á porta. E os joelhos?... oh céus, os joelhos…

 

E agora encontrar um médico de confiança, que queira avançar?

Demorou alguns meses até que, sem procurarmos, tivemos uma referencia milagrosa.

 

Um casal nosso conhecido tinha sido operado por um médico, falaram maravilhas e deram-nos o contacto.

 

Liguei uma 2ª feira, na 4ª a Mãe Maria foi á consulta e tudo ficou planeado no mesmo dia!

(continua)

 

magoo.gif

(magoo tirado da net)

Autoria e outros dados (tags, etc)

(ou, o orgulho de uma tia)

Pois que aqui pessoa se baba de orgulho de seus bébes da tia, já todos sabem.

 

O mái’velho é baixista na Banda Nightdream que faz tributo a Nightwish, uma banda finlandesa de Metal Sinfónico (é o que esta na wiki, ok?)

 

Em maio, bebé da tia convidou uns amigos e familiares para ver a estreia dele enquanto elemento da banda. E lá fomos, entre outros:

 

Eu – Porque sou tia,

A T. – Porque foi convidada e parecia mal não ir

O Sr. Agente – Porque adora Nightwish.

O meu sobrinho Tomás e a R.

 

E a B, a 1a dama do Baixo!

 

A coisa deu-se no Incrível Almadense.

entr.jpg(fonte própria)

 

Combinámos uma petiscada antes do concerto, confessámos os nossos receios de não achar particular piada, engendrámos planos para sair a meio do espetáculo – garantindo assim que pelo menos tínhamos marcado presença – e lá fomos nós.

 

Nada nos podia ter preparado para o que assistimos…

 

Eu assumi que ia ver uma banda de covers, daquelas ás quais não acho grande piada.

Eu assumi que ia apanhar a seca da vida porque nem sou fã desta banda.

Eu assumi que a meio ia deixar os amadores e ia para casa dormir.

 

Eu assumi tudo mal!

 

Ao fim de 10 segundos de música eu, o Sr. Agente e a T. estávamos em pé, aos saltos, a gritar e a bater palmas!

 

E foi a loucura!

 

Acho que já me vão conhecendo o suficiente para saber que não sou de fazer fretes, nem favores, nem o penico.

 

Não estou a elogiar do concerto por lá ter um familiar e espero que isso fique realmente claro.

 

Os gajos são mesmo bons!! Bons músicos, bons em palco… Enfim

 

A vocalista, Eduarda, é linda, tem uma voz lírica divinal e não pára em palco.

 

O baterista, Pajó,  é um “curtido” e quase aposto que tem um duplo. Não pára...

 

O guitarrista, Emanuel,  (O Caveman para a T) toca que se desunha (provavelmente, as unhas já foram há muito)

 

O meu menino, Pedro, parece um Sr. sério e crescido a tocar, super compenetrado.

bt.jpg

(fonte própria)

 

O mentor da Banda, Nelson… Senhoras e Senhores… é um ANIMAL em palco!

 

Aliás, não desfazendo do resto da malta (todos eles brilhantes) esta criatura é um verdadeiro caso de One Man Show!

 

Ele canta, toca vários instrumentos, “dança”, gere um espetáculo que deixa muitos “profissionais” a um canto e… NÃO PÁRA NUNCA!

 

Á entrada do concerto distribuíram uns autocolantes.

A meio do concerto anunciam que quem tinha os ditos, subia ao palco… Guess who?...

Exacto!

 

Sei-vos dizer que 2 horas passaram a correr.

 

bdt1.jpg

(fonte própria, adulterada por CA)

 

A boa noticia? Amanhã, sábado 16/09 há mais!

Ás 22h, lá estarei no Incrível para ver um espetáculo brutal!

 

 

 

Deixo-vos um video do youtube, o som não está grande coisa, mas dá para ter uma idea:

 

  

Autoria e outros dados (tags, etc)

É tão bom quando a imaginação falha e os bebês da tia dão matéria para um post.

 

Neste caso foi o Mái'velho.

 

Bebé de sua tia, um pequenito (nem de tamanho nem de idade) com 39 anos que tem uma filhota, a bebé de sua Tia-Avó - S.

 

Peço um desconto já que o puto está traumatizado.

Recentemente, por ter o cabelo todo branco, passou por avô da S! (eheheh)

 

Depois dá nisto (mail enviado para mim):

 

relativamente ao canal panda e ao festival do panda... há uma musica a rodar no dito canal cuja letra contém:

“vem aí o meu amigo Panda, faltas tu, para animar a banda.”

 

isso é aliciamento... estão a tentar aliciar alguma criancinha para servir de groupie... e fazer as cenas que as groupies fazem para que as bandas se animem...

 

e ninguém fala disto...

 

não... o que é mau é o facto de a sailor moon mostrar as cuecas... isso as criancinhas não podem ver.. . e fazem-se petições para tirar a série do Panda Biggs por causa da uma série japonesa mostrar uma peça de lingerie... que as mamãs e mulheres normais usam...

 

agora, uma criancinha ir "animar" a banda do panda já é fixe... e está na moda...

este país está perdido.

 

 

Resta-me dizer que nunca vi petição nenhuma para que o super-homem deixasse de aparecer na TV.

E o senhor tem as cuecas á mostra!

 

O meu bebé-da-tia tem toda a razão!

 

sailor.jpg

(imagem tirada da net)

Autoria e outros dados (tags, etc)

29
Jun17

Não estou em mim...

Não é que a C.S me convidou a partilhar no seu blog uma viagem que me tenha marcado?...

 

Quanto mais me conhecem, mais confusão me faz que me convidem

 

Enfim, toca a espreitar aqui algumas peripécias de uma viagem de 4 dias ao Reino Unido com alguns dos bebés da tia! 

 

Espero que se divirtam!

Autoria e outros dados (tags, etc)

30
Mai17

(continuação)

3ª feira foi com pena que deixámos a Quinta d'Abegoa. E ainda não sabíamos o que nos esperava em Monsaraz.

 

Despedimo-nos da Dª Rosa com a promessa do regresso 

 

Almoçámos por Castelo de Vide e seguimos para sul.

Não deu para parar em tudo o que era Castelo nem em tantas localidades fantásticas, mas o tempo não chegava!

 

Estavam 35'C e só pensávamos em chegar à piscina da nova paragem.

Apanhámos um balde de água fria, mas piscina nem por isso.

 

Tinhamos escolhido a Estalagem de Monsaraz, um sitio amoroso com funcionárias amorosas e "O" pequeno almoço da minha vida.

 

mons.jpg

 

No entanto, o edifício é antigo e não está propriamente adaptado a pequenas velhotinhas.

Apesar de ter ficado num quarto térreo, o acesso era uma aventura e estive sempre com medo do momento em que a minha mãe fosse de nariz ao chão.

 

IMG_20170516_191757.jpg

Esta pequena criatura fazia parte da comissão boas vindas e mal demos conta entrou no quarto e instalou-se na minha cama...

 

O quarto deixou um pouco a desejar quanto a limpeza.

Felizmente ando sempre com um bom amigo atrás, sem ele tinha ido dormir para o carro.

 

A piscina, pela qual ansiámos durante toda a viagem estava suja e acreditem que suja é eufemismo...

 

Salvou-nos o Castelo, LINDO DE MORRER e pessoas fantásticas. (uma delas um pouco mais fantástica do que seria aceitável - já lá vamos)

IMG_20170517_113152.jpg

IMG_20170517_113644.jpg

Almoçámos na 4ª feira numa casa sobre a qual adoraria falar, partilhar o nome, elogiar até mais não.

Um espaço adorável com alguns dos melhores petiscos que já provei, mas cujo dono se revelou um verdadeiro stalker.

IMG_20170517_130851.jpg

Depois do manjar dos deuses, com muita conversa e risada à mistura, tivemos a infeliz ideia de perguntar ao dono do estabelecimento como poderíamos chegar a uma praia (Alqueva lindo, lindo).

 

Sua Exª muito prontamente nos deu uma série de dicas e lá fomos as 4 dar um mergulho.

 

Saímos da "praia" e parámos na esplanada para beber uma fresquinha.

De repente reconheço a voz do dono do restaurante...

 

A criatura foi atrás de nós: "pensava que ainda vos apanhava na praia e trouxe um rosé fresquinho para brindarmos"

 

WHAT??? A sério????

 

Nem o facto de estarmos com as mães o dissuadiu de qualquer que tenha sido o rasgo de taralhoquice que lhe passou na mona!!

 

Eu não queria acreditar.

 

Lá corremos com ele e fomos aproveitar mais um bocadinho do sossego e beleza daquela terra... com um piquenique no quarto.

 

E pronto. Havia muito mais a dizer mas a história já vai longa e ando com preguiça de escrever!

 

FIM

Autoria e outros dados (tags, etc)

25
Mai17

(continuação)

 

Depois de uma noite absolutamente fantástica na Abegoa, fomos brindadas com um pequeno almoço caseiro mas delicioso preparado pela dª Rosa, a Caseira da Quinta.

Não podíamos ter sido mais bem tratadas.

 

- Dª Rosa, podemos andar de baloiço?

- Sim, toda a gente pode até eles aguentarem.

- Dª Rosa, podemos usar a rede

- Claro que sim, estão em casa

- Dª Rosa podemos usar a piscina

- Se não tiverem frio

- Dª Rosa, podemos...

- Sim, sim, sim... a tudo respondia que sim com um sorriso e 2 dedos de conversa.

 

Subimos ao Castelo (estávamos a uns 800m) e voltei a ter a mesma sensação de espanto e fascínio de cada vez que lá vou. Se não conhecem vão a Marvão. Não deixem de ir, a sério... é perfeito!

 

Percorremos as muralhas, tirámos fotos até não haver mais nada a fotografar.

IMG_20170515_112840.jpgIMG_20170515_114540.jpg

 

 

IMG_20170515_114735.jpgIMG_20170515_120213.jpgIMG_20170515_121839.jpg

 

 

Almoçámos bem, num restaurante onde viemos a saber depois que tem fama de ter um dono/empregados mal-humorados, mas mais uma vez saiu-nos a sorte grande. O funcionário que nos atendeu era acessível, simpático, cómico... Um mimo!!

 

E fomos aproveitar o calor que fazia para a belíssima piscina da Quinta...

 

IMG_20170514_154128.jpg

IMG_20170514_154255.jpg

 

Passámos 1º num supermercado para comprar qualquer coisa rápida para o jantar, pois queríamos aproveitar a Abegoa até ao último minuto.

(A cozinha está totalmente equipada, acho que na realidade tem mais utensílios do que a minha...)

 

Pizzas no forno (sim, queimei uma devido ao jeito infernal que tenho para lidar com fornos) e jantámos no alpendre... tão bom, tão bom, tão bom...

 

IMG_20170514_154045.jpg

 

Ainda lá estávamos e já fazíamos planos para regressar (numa próxima vez com os nossos amigos - a família cigana)

(continua)

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

24
Mai17

Como alguns de vocês sabem, eu e a minha amiga AN, decidimos levar as mães a arejar.

 

A ideia era passar uns dias tranquilos com as miúdas pelo Alentejo, aproveitar para lhes mostrar uns Castelitos e comer coisinhas das boas!

 

Desta vez para animar a festa, tínhamos a Mãe Maria com 86 aninhos, a Mãe E com uns fantásticos 62, mas quem acabou por ficar em estado semi comatoso foi mesmo a AN e eu, miúdas novinhas (cof cof)... 

 

A 1ª paragem foi em Castelo de Vide.

Fizemos um belíssimo piquenique à entrada da cidade (vamos sempre preparadas para aproveitar o ar livre) antes de subir pela Judiaria em direção ao Castelo.

 

Já lá tinha estado umas quantas vezes e posso-vos garantir que aquele sitio nunca foi tão íngreme... houve claramente uma elevação de terras. Bolas que se sobe pa caraças!

 

As piquenas não subiam a alguns sítios, mas não tantos como isso... Seria de esperar que levássemos alguma vantagem. Só que não...

As piquenas aguentaram-se melhor que nós! 

 

DSCN1789.JPGDSCN1795.JPG

 

Por precaução tinha sugerido à Mãe Maria que levasse uma bengala (que felizmente ainda não usa) e ela estranhamente aceitou sem refilar... ainda bem que o fez, ajudou-a bastante.

 

Olhem bem o estilo da velhota enquanto se parte a rir de uma qualquer parvoíce:

 

DSCN1781.JPG

Depois de almoço rumámos a Marvão. Para mim o sitio mais belo onde alguma vez estive.

 

A começar pela "estrada das árvores bonitas"... 

estrada.jpg

 Tivemos uma pontaria fantástica na escolha do alojamento.

 

A Quinta d'Abegoa é o paraíso na Terra.

Uma Quinta com apenas 2 villas, onde só estávamos nós!

 

A banda sonora era proporcionada pelos chocalhos das ovelhas, alguns cães e à noite uns grilitos. Bom... e as nossas gargalhadas

 

Deve ter sido a 1ª vez que ao fim do 1º dia eu tinha a sensação de estar há 4 ou 5 de férias, tal não foi o descanso.

 

Deixo-vos com algumas fotos e amanhã há mais relato!

 

IMG_20170514_154801.jpgIMG_20170516_104148.jpg

IMG_20170516_103802.jpg

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Que mania que os antigos tinham de construir os castelos num sitio alto

IMG_20170515_112840.jpg

Depois as miúdas de 86 anos ficam neste estado

IMG_20170515_121903.jpg

Autoria e outros dados (tags, etc)


Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D